Equipe Estratégia Recursos Humanos

A Transformação Digital e Ágil no RH e em Processos de Folha de Pagamento

Culturalmente, o RH sempre foi um setor conservador e metódico. Por outro lado, como seu objetivo é valorizar o capital humano da empresa, desenvolvendo pessoas e focando em melhorar a forma como os processos são desenvolvidos internamente, a transformação digital pode ser de grande ajuda.

No entanto, uma coisa é falar sobre transformação digital no RH e outra, totalmente diferente, é fazer isso da forma correta. O RH envolve diversas vertentes e seus processos precisam estar totalmente integrados, sob a pena de ocasionar uma meia transformação digital, o que prejudicaria a experiência dos colaboradores.

Por isso, no post de hoje, vamos nos aprofundar no fenômeno da transformação digital no RH, e na necessidade, especificamente, dessa digitalização se estender para o processamento da folha de pagamento. Também damos um pitaco no que se refere a metodologia ágil na gestão do RH e no processamento da folha. Acompanhe.

Transformação Digital no RH

O RH precisa estar alinhado com a transformação digital que vem acelerando a sociedade e as empresas. Em nosso dia a dia, diversos processos que normalmente demoravam ou eram  incertos, um processo que ia desde a solicitação de um cartão de crédito até pedir um transporte urbano, hoje, acontecem em poucos cliques.

Agora, imagine levar essa facilidade e praticidade para uma gestão estratégica de recursos humanos. Quantos cliques um funcionário precisa para conseguir acessar um serviço oferecido pelo RH da sua empresa?

E se fosse possível que, em poucos cliques, seu colaborador pudesse dar um feedback para seu colega ou iniciar um processo de solicitação de férias?

A transformação digital no RH torna os processos tão simples que seus integrantes conseguem deixar de gastar longas horas fazendo trabalhos administrativos, resultando em menos erros que podem ser cometidos com a administração de grandes planilhas.

Além disso, as barreiras entre o RH e o restante da empresa são quebradas, e isso faz com que  os dados coletados pela equipe sejam compartilhados, aumentando as chances de outros setores desenvolverem melhores métodos de trabalho que aprimorem a produtividade dos seus colaboradores.

Assim o RH consegue adotar uma postura estratégica na empresa, necessária em tempos de transformação, afinal, nunca foi tão necessário ter colaboradores alinhados com o propósito e cultura, dentro de uma organização.

Vale lembrar, mais uma vez, Peter Drucker:

A Cultura come a Estratégia no café da manhã!

Portanto, é papel do RH ser guardião dessa cultura e, por consequência, fazer parte do planejamento estratégico da empresa, que tem tudo a ver com a colaboração interna.

E a transformação digital no RH acertou em cheio o DP

O departamento pessoal, antes o patinho feio do RH, também nunca esteve tão em evidência como nos dias de hoje. Inclusive, de acordo com pesquisa da E&Y, a folha de pagamento digital está diretamente ligada à estratégia das empresas, e em 2019, essa atividade deve ser priorizada.

O primeiro impacto que a tecnologia trouxe foi justamente na rotina do profissional do DP, através da automatização de funções como ponto, folha de pagamento e documentação trabalhista.

Uma das principais mudanças foi a flexibilização da jornada de trabalho. Se antes, o ‘normal’ era chegar na empresa às 8h e bater o ponto às 18h, com uma hora de almoço, agora modelos de home office, trabalho remoto e horários flexíveis são cada vez mais comuns.

Smartphones, aplicativos, computadores portáteis, softwares na nuvem, permitiram transformar a jornada tradicional de trabalho, mas em contrapartida também tornaram os profissionais acessíveis a qualquer hora do dia.

A tecnologia também trouxe consigo uma infinidade de dados para o DP. Esses dados solidificaram o conceito de Business Intelligence (BI), que possibilitam uma análise aprofundada e indicadores para a avaliação de desempenho de cada funcionário.

O e-Social pode acelerar a transformação digital no RH das empresas. Como assim?

O e-Social é um sistema automatizado para gerenciar e unificar informações prestadas por empresas brasileiras referentes à prestação de contas fiscais e trabalhistas do empregador.

Trata-se de um módulo do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED), como uma escrituração digital, que tem como objetivo unificar a relação entre o fisco e as empresas contribuintes brasileiras.

O objetivo do governo é aumentar a segurança nas informações de RH, tanto fiscais como previdenciárias e trabalhistas.

Para isso, o envio dos dados para validação será único e padronizado, substituindo os antigos registros excessivos e manuais muito mais burocráticos, como registros mensais da folha de pagamento e outras obrigações. Simplificando esses processos, os dados das empresas passam também a ser enviados rapidamente, à medida que ocorrem.

As empresas precisarão se adequar tecnologicamente para atender às exigências dessa obrigação legal.

Isso fará com que muitas empresas modifiquem sua cultura organizacional, trazendo a necessidade de uma visão mais ágil de curto prazo, revendo processos ineficientes que mantém o RH em uma zona de conforto e criando a necessidade de aplicar a gestão de projetos em cada novo desafio.

Em resumo, o e-Social vai fazer com que a tecnologia seja protagonista na gestão dos recursos humanos, organizando processos e tornando o setor muito mais estratégico para a empresa.

Falamos sobre isso em nosso post sobre o 11º mandamento do e-Social!  

Quando o RH e o processamento da folha se tornam ágeis

As metodologias ágeis tornaram-se muito comuns na área de desenvolvimento de software. No entanto, devido a sua eficiência em melhorar processos, vêm sendo aplicadas em vários outros setores com sucesso, incluindo o RH.

Isso é possível porque, mais do que uma metodologia, a agilidade é uma cultura, uma nova forma de pensar e agir.

Férias, benefícios, faltas e folhas de pagamento precisam ser administrados, mas hoje eles podem ser feitos através de softwares que otimizam a gestão de documentos e deixam a mente e a dedicação dos colaboradores livres para o que interessa.

Por conta disso, não basta somente aplicar um ou outro método ágil para conseguir obter os resultados prometidos, deve-se de fato encarar uma mudança de mentalidade, incentivando o RH e a organização a respirar novos conceitos e quebrar paradigmas.

E aqui começam os problemas.  Ficou curioso?

Nós vamos dedicar um material especial, para tratar do Ágil na Contabilidade e como ele pode contribuir para o sucesso das empresas, que terceirizam o processamento contábil. Aguarde.

Se quiser saber mais sobre como tornar os processos da sua empresa mais ágeis, inclusive sua folha de pagamento, em uma contabilidade Ágil, que possui cultura e aplica a metodologia, end to end? Mande uma mensagem que teremos o maior prazer em te explicar como funciona.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *