Contabilidade Estratégia Explicabilidade Tributos

Traduzindo o idioma contábil-fiscal (ainda que não seja francês)

O anseio pela simplificação vem sendo cada vez mais percebido pela sociedade e mudanças culturais evidenciam isso. Empresas, principalmente da área da tecnologia, que cada dia mais se encontram em situações complexas e de mudanças rápidas, passaram a se mover em direção princípio da simplicidade, para promover transformações.

Mas ainda há um conceito equivocado que muitas vezes se relaciona à tal simplificação.

Adjetivos dançam com a ignorância e muitas vezes profissionais de setores inteiros parecem entender que simplificar algo complexo pode representar superficialidade ou banalidade, porém, a realidade é que a arte da simplicidade é tão sutil quanto a nossa inteligência, e por isso, requer criatividade.

Complicar é fácil, enquanto simplificar, é difícil.

Neste post vamos falar sobre a simplificação do idioma contábil-fiscal, que apelidamos de “Contabilitês”, e traduzi-lo (ainda que não seja francês) utilizando o conceito da Explicabilidade, para tornar simples termos contábeis necessários no “dicionário” de qualquer empreendedor. Ainda demonstramos como isso pode afetar a experiência de empreendedores, na figura de clientes.

Quer ver? Vamos lá…

A arte de complicar

Ainda existe um falso consenso de que coisas complexas se relacionam a algo sofisticado ou à qualidade e que processos difíceis ou complicados correspondem a garantia de sucesso. E isso inclui a forma de se comunicar.

Segmentos mais tradicionais ainda sofrem com antigos paradigmas de comunicação, em que a arte de gerar complexidade, ainda é muito utilizada para demonstrar um conhecimento mais aprofundado.

Não se trata de uma crítica, afinal, é mais fácil utilizar termos técnicos em uma conversa de profissionais da mesma área, mas quando se trata de uma relação entre empresa e cliente, em que geralmente são segmentos distintos, a complicação pode ser grande.

Isso acontece muito na área de Direto com o “Juridiquês”, e até mesmo a Associação de Magistrados Brasileiros, que incentivou a simplificação da Linguagem Jurídica no Brasil,  fez uma brincadeira em 2007:

Diagnosticada a mazela, põe-se a querela a avocar o poliglotismo. A solvência, a nosso sentir, divorcia-se de qualquer iniciativa legiferante. Viceja na dialética meditabunda, ao inverso da almejada simplicidade teleológica, semiótica e sintática, a rabulegência tautológica, transfigurada em plurilingüismo ululante indecifrável. (AMB, 2007, p. 1).

Complicou? Pois é…

O mesmo ocorre com a contabilidade, o que apelidamos de “Contabilitês”.

Essa língua muitas vezes pode parecer estranha a “não-nativos”, porque além dos termos contábeis, há ainda uma relação com o juridiquês e outras palavras utilizadas em regras do governo para a cobrança de impostos, com siglas e nomes difíceis que parecem terem sido criados para complicar mesmo.

A profissão contábil evoluiu, e hoje a contabilidade deve ser vista como uma parceira estratégica que mantém a saúde financeira da sua empresa, ao mesmo tempo, que fornece informações essenciais para a gestão do negócio. Manter uma comunicação simples e objetiva, faz com que as informações alcancem o resultado pretendido: serem compreendidas e aplicadas à estratégia da empresa.

Assim, surge um desafio interessante para profissionais da área: traduzir o idioma contábil-fiscal para empreendedores que necessitam compreender alguns termos e situações de forma clara, para poder acompanhar a saúde de seus negócios.

A comunicação diária e a sua influência na experiência do cliente

Vivemos na era da experiência do cliente e muitas vezes, a empresa mais marcante não será aquela que oferece o produto ou serviço mais bonito, mas sim a que oferece um atendimento surpreendente. Essa questão está totalmente relacionada a comunicação, para setores tradicionais.

Neste contexto, simplificar o tratamento de informações contábeis do dia-a-dia, desde mensagens até a explicação de termos importantes, se tornou vital também para melhorar a experiência do cliente e economizar um importante recurso: o tempo.

Imagine-se recebendo um e-mail assim:

Prezado,

Necessito que seja feito o envio das informações em que constam os dados documentados no decorrer do mês, para processamento dos relatórios  e apuração de resultados produzidos na competência subsequente, que deverão ser enviados posteriormente aos responsáveis pelos mesmos. Isto visa evitar sanções atribuídas pela entrega fora do prazo previsto legalmente, na forma Lei 123/xxxx, além de não atrasar nosso serviço.

Sem mais.

Grato,

José Silva e Silva

Além do tempo para analisar, compreender e responder, a reação pode ser um pouco frustrante… não é?

Agora, imagine-se recebendo o mesmo e-mail, assim:

Olá Cliente (seu nome),

Precisamos receber no dia 30 os dados referentes ao mês anterior.

A partir deles, vamos produzir o relatório e enviar a você até o dia 10 de cada mês, para analisarmos juntos os resultados da empresa. Podemos seguir assim? 🙂

Ah, com este pequeno processo, conseguimos manter tudo em dia.

Conte com a gente,

Lucas Silva e Silva

Qual deles parece mais “sofisticado”, o complexo ou o simples?

Para a resposta, vamos apelar,e utilizar uma afirmação de ninguém mais, ninguém menos, do que Leonardo da Vinci:

“A simplicidade é o último grau da sofisticação.”

Utilizando ainda simples conceitos de comunicação, para demonstrar como pode ser a experiência do cliente, de acordo com cada mensagem:

No primeiro e-mail, o receptor pode se sentir como se estivesse devendo algo ou tomando um soco no estômago.

Já no segundo, pela simplicidade do texto e sua linguagem acessível, ocorre uma aproximação natural do leitor e a pergunta ao final da segunda frase, serve para assegurar que a pessoa do outro lado entendeu bem a mensagem, o que gera também empatia.

Tem ou não tem a ver com a experiência o cliente?

E a arte de simplificar

Em nosso post anterior, utilizamos o conceito da Explicabilidade, para falar sobre detalhes do IVA, principal proposta para a reforma tributária.

A intenção era justamente simplificar a compreensão do imposto que protagoniza programas políticos de candidatos à presidência, que geralmente é explicado de maneira escassa ou complexa.

A palavra Explicablidade, que até existe no dicionário, foi de certa forma “reciclada” por Murilo Gun, comediante e professor de criatividade, que estudou na Singularity University, da Nasa, para conceituar a capacidade de alguém conseguir explicar algo para outra pessoa simplificadamente.

Segundo Gun, aquele que sabe utilizar a Explicabilidade, é um bom explicador, e possui um pouco de vendedor mesclado com orador, mas de uma forma sutil.

Na verdade, apenas o suficiente para se comunicar bem, fazendo com que suas ideias sejam compreendidas por outras pessoas de forma simples. Afinal, uma boa explicação não deixa de ser uma venda simples de ideias, onde buscamos explicar nosso ponto de vista para quem nos escuta.

O conceito da Explicabilidade, trazido à tona por Murilo, pode ser compreendido também como a arte de simplificar informações complexas. Teve até mesmo um concurso bem interessante, utilizando o conceito para eleger o melhor Explicador.

Em três minutos, cada pessoa tinha que explicar termos relacionados a diversas áreas, como tecnologia, empreendedorismo, modelos de negócio e etc.

O desafio fez com que palavras um pouco complicadas para profissionais de segmentos diversos, se tornassem completamente simples, como cauda longa, metodologia ágil, SEO e por ai vai.

Mas, o que isso tem a ver com a tradução do Contabiltês, para empresários? Tudo!

A grande maioria dos empreendedores acha contabilidade um assunto complicado e até chato porque não falam o Contabilitês ou por que alguém complicou nas explicações anteriormente.

E nem precisam. Os contadores é que devem conseguir explicar os termos contábeis para eles (e para quem mais quiser aprender) de uma forma simples e prática.

Ou seja, usar a Explicabilidade! Simplificar a complexidade, quebrando o paradigma da comunicação difícil.

Claro que isso não isenta o empreendedor de estar ao menos familiarizado com os principais termos contábeis relacionados com seu negócio, mas simplificar ajuda a montar o “lego”, fazendo com que a comunicação tenha o resultado pretendido.

Agora, vamos usar o conceito de Explicabilidade na prática, para simplificar ou traduzir o idioma contábil-fiscal.

Vamos lá?

A Explicabilidade para termos contábeis

Antes de apresentar os conceitos dos termos contábeis, é importante lembrar que a contabilidade possui diversas ferramentas e relatórios gerenciais que podem ajudar no seu negócio.

Saber como estão os números e a situação interna de sua empresa e, mais do que isso, conseguir usar as informações fornecidas pelos documentos contábeis em seu favor é fundamental.

Aqui, vamos falar apenas de alguns dos mais importantes para o controle financeiro da sua empresa.

Patrimônio          

O Patrimônio é o nome que se dá ao conjunto de bens, direitos e obrigações da sua empresa.

Para entender melhor, bens e direitos representam tudo aquilo que a empresa possui, como, por exemplo, os produtos em estoque, os equipamentos e as contas a receber. Estes itens são chamados de ativos da empresa.

As obrigações são as suas dívidas, ou seja, as contas que devem ser pagas pela empresa. Por exemplo: energia elétrica, conta de água, faturas de fornecedores, salários de funcionário, entre outros, também chamados de passivos.

O saldo positivo resultante da diferença entre os seus ativos e passivos resulta no chamado Patrimônio Líquido.

Entre os termos contábeis, o Patrimônio é a base para entender outros temas, que veremos a seguir.

Balanço Patrimonial

Este é um dos termos contábeis mais importantes para sua empresa. Por definição, ele é uma demonstração financeira, contábil e econômica que expressa a situação da empresa em determinado período.

Complicou? Vamos simplificar, afinal, a Explicabilidade está aí e devemos segui-la:

O Balanço Patrimonial é a forma de representar todas as movimentações financeiras da empresa em um período, que, geralmente, é um ano.

Ou seja, ele contém todos os registros de ativos e passivos da empresa, além do Patrimônio Líquido.

Sua principal finalidade é fornecer duas análises para o empreendedor: a situação do patrimônio da empresa e a disponibilidade de fontes e aplicação de recursos.

A partir disso, é possível obter um quadro da saúde financeira da empresa, mostrando o seu resultado econômico durante o período.

Com o Balanço é possível:

  • Observar a sua evolução histórica para o planejamento e ação futura;
  • Entender as fontes de recursos para os investimentos da empresa;
  • Organizar o pagamento de dividendos aos sócios da empresa;
  • Permitir o planejamento tributário da empresa;
  • Avaliar o patrimônio da empresa.
Demonstração do Resultado do Exercício (DRE)

A DRE é um dos principais termos contábeis para você conhecer. Deve ser elaborada em conjunto com o balanço patrimonial e descreve as operações financeiras realizadas pela empresa.

Através dela, é realizada a comparação entre as receitas e despesas, verificando se a empresa teve lucro ou prejuízo no período.

Os lançamentos são realizados de duas formas: a gerencial, incluindo as projeções de novos custos ou possíveis expansões nas operações da empresa, e a fiscal, onde todos os impostos e tributos recolhidos são registrados.

A visão financeira oferecida pela DRE permite que os empreendedores tomem decisões realistas sobre o negócio, seja para corrigir o seu rumo ou expandir suas atividades.

Fluxo de caixa

O fluxo de caixa é outro dos termos contábeis que o empreendedor precisa entender, sendo uma das principais ferramentas de controle financeiro da empresa.

Para calcular o fluxo de caixa, é preciso levar em consideração o saldo inicial, as receitas, as despesas e o saldo final. Também considera o orçamento disponível, portanto, se ocorreram investimentos e empréstimos no período, eles devem ser registrados.

É importante que todas as entradas e saídas do caixa sejam registradas para que o resultado seja realmente condizente com a movimentação e demonstre a real situação do negócio.

O fluxo de caixa pode ajudar o empreendedor na negociação do pagamento de fornecedores, no recebimento dos clientes e na tomada de decisão sobre o momento certo de realizar investimentos na empresa.

Conclusão simplificada

Agora você já sabe da importância da simplificação, o que inclui a comunicação, e conheceu alguns dos principais termos contábeis, utilizando o conceito de Explicabilidade, esperamos que tenha percebido a importância de entender bem o funcionamento dessas ferramentas de contabilidade e o quanto elas podem ajudar a sua empresa.

Através delas, você terá acesso às informações essenciais sobre o seu negócio, que impactarão no seu planejamento estratégico e financeiro. Elas também permitirão que você tome as decisões no dia a dia mais embasadas na realidade do seu negócio.

Lembrando que se você tiver qualquer dificuldade para a tradução do idioma contábil-fiscal, a gente descomplica para você.

Ou se quiser que a gente fale sobre mais termos, com menos complicações e mais Explicabilidade, comenta no final do post que falamos, com certeza.

Até os próximos artigos!

1 thought on “Traduzindo o idioma contábil-fiscal (ainda que não seja francês)”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *